.........

CENTRAL DE COMUNICAÇÃO // CNA – Potencialidades rurais são apresentadas a adidos agrícolas de 7 países

.........

Campo Grande (17/07/2017) – O desenvolvimento do agro, as potencialidades do Estado e o perfil sustentável e de empreendedorismo do setor rural. Esses foram os pontos ressaltados pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (FAMASUL), Mauricio Saito, durante a abertura do Programa de Intercâmbio AgroBrazil, em Mato Grosso do Sul, nesta segunda (17), na Casa Rural.

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), por meio da Superintendência de Relações Internacionais (SRI), realiza até 21 de julho a segunda edição do Programa.

No evento, os adidos agrícolas de sete países conhecerão mais sobre o funcionamento do setor agropecuário do Estado. “Mato Grosso Sul completa 40 anos em outubro de 2017 e apresenta uma trajetória de ascensão conquistando a 2ª posição nacional na produção de carne bovina e 5º maior exportador do território nacional”, disse Saito.


Maurício Saito, presidente da FAMASUL

De acordo com o presidente da Federação, em quatro décadas, houve 31,5% de aumento no volume de carne bovina produzida, ultrapassando 800 mil toneladas. Na agricultura, somando soja e a perspectiva para o milho safrinha são 18 milhões de toneladas, com alta de 678,37% no período analisado. “Este resultado elevou nosso Estado ao 4º lugar no ranking nacional de milho e 5º na colocação de soja”.

O presidente da FAMASUL destacou a preservação ambiental associada à produção baseada nos três pilares do desenvolvimento: “o primeiro, é o produtor rural, com o perfil empreendedor; o segundo, a comunidade científica e o terceiro é a parceria entre as instituições. O trabalho de produtividade é calcado na sustentabilidade”, enfatizou Saito. “Temos 87% do bioma Pantanal preservado, graças ao trabalho do homem pantaneiro, segundo números da Embrapa”.

Um dos destaques na apresentação de Mauricio Saito foram os números do SENAR/MS, da atenção que o Sistema FAMASUL prioriza ao programa Agrinho, hoje presente em 57 municípios e 498 escolas.

A reunião também discutiu o andamento de mercado, momento em que o presidente do Sistema FAMASUL pontuou o esforço do governo brasileiro em superar as barreiras.

“O Brasil começa a reverter a imagem de um dos países mais protecionistas do mundo que manteve por muito tempo. Informe da Organização Mundial do Comércio (OMC) destaca que, entre as grandes economias globais, o País foi o que mais adotou medidas para desobstruir o comércio internacional entre outubro de 2016 e maio deste ano”, afirmou Saito.

Do mesmo modo, o secretário de Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, representando a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), reforçou ações que o setor adota para o desenvolvimento sustentável do setor, como: plantio direto, uso de biodigestores nos sistemas produtivos, melhoria nas pastagens, florestas plantadas e sistemas de integração.

Riedel também fez referência ao CAR: “O novo Código Florestal exige o registro obrigatório de toda a propriedade georeferenciada. Cada propriedade é obrigada a se cadastrar em um grande sistema veiculado ao Ministério do Meio Ambiente. No Centro Oeste, 93% já foram registradas”.

Objetivo – A Superintendente de Relações Internacionais da CNA, Lígia Dutra, explicou o objetivo do programa: “A ideia é trazer esses representantes mais próximos da realidade brasileira. Eles vão conhecer o sistema produtivo e as ações de sustentabilidade”.

O grupo de adidos é formado por Andile Maxwell Hawes, da África do Sul; Javier Dufourquet, da Argentina; Changqing Bai, da China; Young Seup Kwon, Coréia do Sul; Sudarsono Soedirlan, Indonésia; Thway Thaut, de Myanmar; Terrapong Vanichanon, da Tailândia.

Durante uma semana, os adidos vão conhecer a pecuária e a produção de grãos do Estado. Além disso, acontecerão reuniões com representantes de órgãos públicos, com entidades do setor produtivo, além de visitas técnicas a propriedades rurais e ao canteiro de obras do Centro de Excelência em Bovinocultura de Corte do SENAR.

Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul – FAMASUL

Fonte : CNA