CARVÃO E GÁS | Leilão terá três projetos no RS

Só uma das usinas previstas pela ex-empresa de Eike disputará contratos para conclusão até 2018

Três projetos de geração de energia no Rio Grande do Sul foram inscritos para o leilão de energia do dia 29 de agosto. O Estado terá o maior volume em oferta do país, com 2.488 megawatts (MW) entre térmicas a carvão e a gás.
Conforme o diretor de infraestrutura e energia da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), Marco Franceschi, os projetos a carvão são a UTE Seival, em Candiota, projeto da empresa MPX, e a CTSul, em Cachoeira do Sul, da Andrade Gutierrez e Central Termoelétrica Sul. Os empreendimentos concorrerão para gerar 600 e 750 MW, respectivamente.
Havia expectativa de que outro projeto da MPX participasse: o da UTE Sul, que prevê potência de 727 MW. Conforme Franceschi, questões de licenciamento podem ter adiado o projeto para um novo leilão em dezembro. O governo gaúcho avalia que o adiamento não tem relação com a recente mudança no comando da empresa. Na semana passada, o empresário Eike Batista foi afastado da presidência.
Um projeto para instalar uma termelétrica a gás natural no Rio Grande do Sul também foi inscrito, mas empreendedor e a possível localização ainda são desconhecidos pelo governo do Estado. Essa usina pretende gerar 1.238 MW. Hoje não existe disponibilidade da quantidade de gás natural suficiente, no Rio Grande do Sul, para abastecer uma usina desse porte.
O leilão organizado pelo governo federal para geração de energia elétrica em 2018 – cinco anos a partir da data de contratação – teve 68 projetos inscritos, que totalizam 7.552 MW, entre termelétricas e hidrelétricas, informou a Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Desse total, cerca de 30% (2.140 MW) serão provenientes de quatro projetos de térmicas a carvão, insumo que desde 2008 havia sido banido dos leilões da EPE, mas voltou devido ao alto preço do gás natural.

Fonte: Zero Hora