Campos sofrem redução de qualidade e quantidade no Rio Grande do Sul

Por causa do frio, nebulosidade e chuvas, diminui o valor nutritivo da carne

por Globo Rural On-line

 Shutterstock

Têm sido observadas excelentes pastagens de aveia e azevém principalmente em áreas que foram cultivadas anteriormente com soja no verão (Foto: Shutterstock)

Os campos nativos do Rio Grande do Sul apresentam severa redução na qualidade e quantidade da forragem disponível, diminuindo a palatabilidade e o valor nutritivo, decorrente das baixas temperaturas, reduzida luminosidade e ocorrência excessiva de chuvas, propiciando ambiente úmido.

Além disso, nesta última semana, a forragem tem pouca proteína e muita fibra. Em relação às pastagens cultivadas de inverno, na maioria das regiões do Estado estas forrageiras, especialmente as gramíneas anuais mais cultivadas como a aveia e o azevém, apresentam bom desenvolvimento vegetativo, disponibilizando forragens verde tanto na qualidade quanto na quantidade para os
animais.

Têm sido observadas excelentes pastagens de aveia e azevém principalmente em áreas que foram cultivadas anteriormente com soja no verão, pois a rotação de culturas entre uma leguminosa (soja) e uma gramínea (aveia x azevém) e muito recomendada com ganhos de produção já comprovado, tanto pelos técnicos como pelos agricultores. Os técnicos da Emater estão recomendando a realização da adubação de cobertura nitrogenada nas áreas de pastagens cultivadas de inverno, assim como, a prática de pastoreio rotativo, pois os produtores que estão adotando esta prática conseguem melhores resultados.

Com informações do boletim semanal divulgado pela Emater (RS) e da Agência Safra.

Fonte: Globo Rural