.........

Campo e Lavoura – Negócios na Expodireto chegam a R$ 2,12 bilhões

.........

Resultado supera em 34% o valor das operações registradas na edição do ano passado

Negócios na Expodireto chegam a R$ 2,12 bilhões Diogo Zanatta/Especial

Resultado se refletiu também em um público recorde de R$ 240 mil pessoasFoto: Diogo Zanatta / Especial

O otimismo gerado pela perspectiva de nova supersafra de grãos combinado com a retomada da confiança dos produtores fez com que a Expodireto-Cotrijal faturasse 34% a mais do que no ano passado — o dobro da projeção inicial. Os negócios na feira chegaram a R$ 2,12 bilhões, quebrando o jejum de dois anos consecutivos sem crescimento. O resultado se refletiu também em um público recorde de R$ 240 mil pessoas.

— O produtor está capitalizado e as indústrias estavam precisando fazer girar seus produtos. Toda essa conjuntura, com uma safra cheia no horizonte, fez a feira nos surpreender positivamente — disse Nei César Mânica, presidente da Expodireto.

A cifra de negócios encaminhados poderia ter sido ainda maior, assinala Mânica, se o preço das commodities agrícolas estivesse valorizado:

— A baixa de preço pode ter retraído os produtores que não venderam a safra antecipada — explicou.

Os investimentos refletem também a consciência cada vez maior de que os resultados no campo têm relação direta com o aumento da produtividade e a redução dos custos, avalia Claudio Bier, presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no Estado (Simers).

— Os contratos de vendas fechados na feira devem resultar em um aumento gradativo de empregos nas indústrias a partir de agora — projeta Bier.

Com 150 hectares de grãos cultivados em Não-Me-Toque, a família Talamini foi à feira decidida a investir em uma plantadeira para tirar melhor proveito do trator comprado no ano passado. Os produtores Deisi, o pai José Paulo e o tio Pedro Antônio foram rápidos na escolha do modelo com oito linhas.

— Quem fica para trás na tecnologia não tem potencial para crescer — comentou Deisi.

Para o produtor Marcelo Borges, de Restinga Sêca, o estímulo para a compra de dois tratores, em substituição a máquinas mais antigas, também veio do desejo de produzir mais e ser mais eficiente.

— Tenho dois tratores subaproveitados. Terei economia de mais de 10 litros por hora de diesel nesse ajuste da frota — conta o produtor.

Os números da feira

Financiamento de bancos — R$ 1,63 bilhão + 31%

Bancos de fábricas — R$ 259 milhões + 23%

Recursos próprios — R$ 189 milhões + 117%

Pavilhão internacional — R$ 40 milhões + 2%

Agricultura familiar — R$ 1,045 milhão + 9%

Total — R$ 2,12 bilhões + 34%

Por: Joana Colussi – de Não-Me-Toque e Karen Viscardi

Fonte : Zero Hora