.........

Campo e lavoura – Bons negócios Supersafra, vendas e agricultura familiar: o que foi destaque na Expodireto

.........

Feira de Não-Me-Toque termina nesta sexta-feira impulsionada por resultados do campo e sinais de retomada da economia do país

 

Supersafra, vendas e agricultura familiar: o que foi destaque na Expodireto Diogo Zanatta/Especial

Foto: Diogo Zanatta / Especial

No ano em que alcançou a maioridade, ao chegar à 18ª edição, a Expodireto-Cotrijal teve ingredientes fundamentais para o sucesso de uma feira. A expectativa de uma supersafra e os sinais de recuperação da economia garantiram a retomada dos negócios em um dos principais eventos do país, que se encerra nesta sexta-feira, em Não-Me-Toque.

Safra farta

Embora boa parte das máquinas e equipamentos seja comprada por necessidade, é quase impossível separar os resultados da safra com a disposição em investir. Após uma colheita de milho recorde em produtividade e de arroz retomando a normalidade, os produtores foram à feira com a expectativa de nova supersafra de soja. A colheita das lavouras de verão deverá alcançar volume recorde de 30,8 milhões de toneladas, segundo a Emater. A euforia nos dias da feira só não foi maior por conta da redução do preço do grão que caiu para a casa dos R$ 60 após ter batido o pico de R$ 100 no ano passado.

— Os produtores tiveram oportunidade de fixar boas cotações. Quem não o fez, pelo menos terá a baixa de preço recompensada por altas produtividades — avaliou Nei Mânica, presidente da Expodireto-Cotrijal.

Ânimo renovado

Foto: Diogo Zanatta / Especial

Quem esteve na Expodireto em 2016 e neste ano percebeu claramente a diferença no clima entre expositores e visitantes. Os sinais de recuperação da economia, com juro básico e inflação menores, revigoram o ânimo do produtor na hora de investir.

— O momento é outro, nem se compara com o ano passado — comemora Cláudio Bier, presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas do RS.

Além da grande procura por tratores, plantadeiras, pulverizadores e colheitadeiras, surpreendeu o interesse em equipamentos para irrigação. As altas produtividades vistas na safra estimulam investimentos na tecnologia.

Espaço disputado a cada ano

Foto: Diogo Zanatta / Especial

No ano em que completou 10 anos de participação na Expodireto, a agricultura familiar teve seu espaço ampliado na feira e mais uma vez foi um dos mais visitados, com vendas crescentes. São 182 expositores vendendo produtos coloniais, artesanatos e flores.

— O espaço é uma vitrine para a produção familiar e vem se consolidando — avalia Tarcísio Minetto, secretário estadual de Desenvolvimento Rural.

O pavilhão faz tanto sucesso que a organização da feira cogita ampliar o espaço na próxima edição. Segundo Minetto, existe uma lista de espera de mais de 200 produtores interessados em levar seus produtos à Expodireto:

— Temos procurado fazer um rodízio entre os expositores, para que um número maior de agroindústrias tenha oportunidade de vir para cá.

Fonte : Zero Hora