CAMPO ABERTO – PONTO DE EQUILÍBRIO

Para acompanhar a implementação de ferramentas que ajudem a garantir o equilíbrio dos preços de milho no país, foi criado ontem grupo de trabalho que envolve a Secretaria de Política Agrícola, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e a Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho). A decisão foi tomada durante reunião de avaliação do atual cenário nacional do grão.

– É preciso ter valores que garantam a competitividade para a indústria e, ao mesmo tempo, sejam estimulantes para o produtor – diz Francisco Turra, presidente da ABPA.

O grupo volta a se reunir dentro de duas semanas, para nova avaliação. Depois de um 2016 de cotações mais valorizadas, que resultaram em custo elevado para a indústria de proteína animal e quando houve necessidade de importar o grão, 2017 tem sido de preços mais baixos, em razão da ampla oferta. Isso deve se converter em área e produção menor no país na primeira safra de 2018.

Dois caminhos serão perseguidos: o primeiro será melhorar a logística da Região Sul, onde está concentrada a produção de aves. O segundo, priorizar a utilização do milho brasileiro até o seu limite, em favor do agricultor nacional.

gisele.loeblein@zerohora.com.br gauchazh.com/giseleloeblein 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora