.........

CAMPO ABERTO | Gisele Loeblein PRESSÃO TOTAL POR RECUO DO GOVERNO NA REFORMA

.........

 

  •  

    O convencimento do governo ou a intensificação das manifestações. Esses são os dois caminhos possíveis na ótica de entidades do setor agropecuário frente à proposta de reforma previdenciária. A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) reúne hoje as federações de todos os Estados em Brasília, para definir como se posicionará.
    Ainda não jogou a toalha e pretende fazer o governo recuar na forma da contribuição e também na idade mínima para aposentadoria das mulheres, que foi ampliada de 55 anos para 57 anos. Tanto que tenta agenda com o líder do governo, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).
    Na semana passada, ele já havia se reunido com representantes das entidades, junto com Arthur Maia (PPS-BA), relator da comissão especial que analisou a proposta de emenda constitucional.
    – Sentimos que há espaço para avançar, para discutir essas questões – afirma Carlos Joel da Silva, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado.
    Presidente da Frente Parlamentar da Agricultura Familiar, o deputado Heitor Schuch (PSB-RS) diz que será dado o “tiro de misericórdia para tentar salvar a contribuição sobre a produção”:
    – Ou a gente consegue aprovar destaque em plenário, ou o governo concorda com isso.
    A possibilidade de o Planalto rever a atual posição, em que altera a contribuição para individual e não mais sobre a produção, está ancorada na necessidade que tem de obter 308 votos para a aprovação da reforma no plenário da Câmara. Recuar para aprovar talvez seja o lema do presidente Michel Temer atualmente. Embora nem mesmo essas modificações sejam garantias de votos a favor.
    Se tudo der errado e o governo mantiver a proposta como está, a ideia é engrossar o tom das mobilizações contra a reforma. Além de atos em cada Estado, nas capitais, poderão ser feitas ações nas gerências regionais do INSS na semana da votação. Está aberta a temporada de pressão total.

  • FAZENDA NO CONCRETO

    Com o objetivo de aproximar o homem da cidade e o do campo, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) está trazendo uma iniciativa diferente para um shopping da Capital. É o projeto de realidade aumentada (foto), que coloca o visitante em contato com animais e cenários típicos das propriedades.
    – A ideia é cada vez mais aproximar o urbano do meio rural. E fazer isso de forma lúdica é mais fácil – afirma Gilmar Tietböhl, superintendente do Senar-RS.
    A atividade faz parte das comemorações de 25 anos do Senar e 24 anos do Senar-RS. Depois de passar por Brasília, a ação chega ao Iguatemi, em Porto Alegre, na sexta-feira, e fica até o dia 25. E deve ter roteiro itinerante por várias capitais no país, na campanha Uma Janela para o Futuro do Brasil, que mostra o papel da entidade na melhoria da produção via cursos de qualificação profissional e assistência técnica.
    Tietböhl explica que as pessoas vão se enxergar na tela, junto à realidade virtual. É possível se aproximar e até fazer carinho nos animais que surgem por lá.
    No Rio Grande do Sul, em 2016, 162,21 mil pessoas participaram dos cursos do Senar. No cenário nacional, há ainda a Faculdade de Tecnologia da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil.

  • BRASIL NO TOPO

    A eficiência da produção agropecuária brasileira foi evidenciada em estudo divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. Pela pesquisa, o Brasil apareceu como um dos países em que a produtividade mais cresce no mundo (veja tabela). Entre 2006 e 2010, o rendimento cresceu 4,28% ao ano.
    Para José Garcia Gasques, coordenador-geral de Estudos e Análises da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, os dados mostram que a agricultura nacional avança principalmente com base na produtividade:
    – No Brasil, essa variável é responsável por cerca de 90% do crescimento da produção.

  • RUIM TAMBÉM PARA A ECONOMIA

    Não é apenas no bolso do agricultor que a reforma previdenciária terá efeitos. Se a proposta do governo federal for aprovada, poderá impactar a economia dos municípios. Projeção feita pelo gabinete do deputado Elton Weber (PSB) indica que R$ 7,7 bilhões circulariam no Estado no ano. O cálculo tem como base o número de benefícios rurais concedidos em 2015 pelo INSS (tendo dezembro como referência), multiplicados pelo valor do salário mínimo atual e por 13 parcelas (12 salários mais o décimo terceiro). A reforma será tema de grande expediente de Weber na Assembleia.
    – O que essa contribuição gera na ponta acaba voltando para os cofres públicos. Parte do dinheiro da Previdência o produtor reinveste na produção, no comércio – afirma.

  • NO RADAR

    Sai hoje leilão de imóvel do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), em Caxias do Sul. É uma unidade frigorífica, com 8 mil toneladas de capacidade. O valor mínimo: R$ 22,78 milhões.

    – – –
    O ADVOGADO DA COMPANHIA ESTADUAL DE SILOS E ARMAZÉNS, LUIZ HENRIQUE CORDEIRO, DEVE ENTREGAR NA QUINTA-FEIRA, A DEFESA DO ÓRGÃO NA AÇÃO MOVIDA PELO MINISTÉRIO PÚBLICO QUE PEDE O AFASTAMENTO DO PRESIDENTE, CARLOS KERCHER. RECURSO PERMITIU QUE ELE RETORNASSE AO CARGO.

    Fonte : Zero hora