CAMPO ABERTO | Gisele Loeblein LIBERAÇÃO DO PARQUE DA EXPOINTER À VISTA

 
  •  

    No mesmo dia em que os primeiros animais começam a chegar para a 38ª Expointer, o parque Assis Brasil, onde a feira é realizada, deverá ser finalmente desinterditado. Na sexta, depois de reunião e vistoria prévia, o 8º Comando Regional dos Bombeiros acertou para esta segunda a liberação, após aprovar o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) elaborado por empresa terceirizada.
    – A partir de hoje, 12 homens do corpo de bombeiros trabalharão 12 horas por dia para avaliar os PPCIs individuais – diz o tenente-coronel Darlan da Silva Adriano.
    Veterinários e técnicos também estarão a postos para receber e fazer a avaliação criteriosa de cada exemplar que chega ao parque.
    – A entrada é escalonada. Há criadores que preferem chegar antes para os animais irem se aclimatando – explica Pablo Charão, chefe do serviço de exposições e feiras da Secretaria da Agricultura.
    Os primeiros a chegar também costumam ser os que precisam percorrer longas distâncias até desembarcar em Esteio. Há ainda etapas de competições que começam a ser realizadas antes mesmo do dia 29.
    Neste ano, três assuntos marcam a feira na largada: a batalha que foi travada contra o relógio para a obtenção do PPCI do parque, o efeito do mormo, com a exigência do exame negativo para emissão da guia de trânsito, e a possibilidade de paralisação dos servidores públicos durante o período da exposição, em especial dos fiscais agropecuários.
    Presidente da Associação dos Fiscais Agropecuários do Estado, Antonio Augusto Medeiros diz que não há nenhuma mobilização prevista até os dias 29 de agosto, na abertura dos portões, e 4 de setembro, no desfile dos campeões. A perspectiva de parcelamento de salários poderá, no entanto, virar o jogo. Sobre uma eventual parada durante a feira, o dirigente afirma:
    – Ainda não discutimos se manteríamos um percentual mínimo de atividade. Mas, com certeza, vamos considerar a importância da feira.

  • COLHEITA DE RESULTADOS

    Com a expectativa de fechar o segundo semestre de 2015 com crescimento de 10% nas vendas, na comparação com igual período do ano passado, a fabricante Massey Ferguson se prepara para investir em uma nova estratégia de vendas.
    A marca, parte do portfólio da AGCO, está fechando parcerias para engatar o barter, ou seja, o recurso que permite a possibilidade de usar o grão para a compra de máquinas agrícolas.
    O anúncio do começo das operações poderá sair ainda durante a Expointer ou logo depois da feira.
    Outra ferramenta de vendas, o consórcio representa hoje cerca de 20% do total negociado.
    – A Expointer é o último grande momento de compra, porque depois é hora de preparar a lavoura de verão – avalia o diretor comercial da Massey, Carlito Eckert.
    A marca trará lançamentos para a feira, como a colheitadeira da foto acima. A aposta em avanços depois de um primeiro semestre difícil, com queda de 22% nas comercializações de tratores, se justifica a partir de um ingrediente relacionado às linhas de financiamento. Eckert observa que durante a Agrishow, que teve recuo de 30% no resultado, não havia ainda uma definição de como ficariam as taxas de juro do Plano Safra 2015-2016. Agora, já há essa definição.
    – A partir de julho, o Plano Safra começou a rodar – completa Eckert.
    Ainda assim, mesmo que alcance resultados positivos na segunda metade do ano, a indústria de máquinas deve fechar 2015 com um recuo de 18% a 23% nos tratores.

  • SOTAQUE GAÚCHO NO CINTURÃO

    Nem mesmo a barreira do idioma intimidou um grupo de 10 produtores de Ibirubá, Selbach e Colorado que foram aos Estados Unidos para conhecer de perto como é a realidade da principal região produtora de grãos do mundo, o chamado cinturão do milho (corn belt, em inglês).
    – A otimização da mão de obra aqui impressiona. Os proprietários da fazenda fazem praticamente tudo, isso sem contar o nível de tecnologia – disse Áurio Zanatta, 44 anos, produtor em Selbach.
    Com apenas uma safra por ano, em razão do inverno rigoroso, os americanos não costumam ser surpreendidos, trabalham com previsibilidade.
    – E se algo der errado, eles têm a produção garantida com o seguro rural – compara Clóvis Werlang, propritário da Cereais Werlang, de Ibirubá, que organizou o roteiro técnico com a agência Agrobravo.
    Além das lavouras de grãos, os produtores visitaram ainda, em um roteiro de sete dias, cooperativas, fábricas de colheitadeiras e tratores da John Deere, além da sede mundial da Dow AgroScienses.

  • OS GURIS DE 2015

    Gaúchos que ajudam a levar o nome do Estado pelo mundo são reconhecidos com o Troféu Guri. Os agraciados deste ano recebem a homenagem dia 1º de setembro, na Casa RBS. Criado em 1998 pela Rádio Gaúcha, o troféu é inspirado na canção composta por João Batista Machado e Júlio Machado da Silva Filho, eternizada na voz de César Passarinho.
    – O Troféu Guri representa a gratidão, por parte do Grupo RBS, da importância dessas personalidades no reconhecimento e na divulgação do Rio Grande – ressalta o gerente-executivo de Jornalismo da Rádio Gaúcha, Cyro Silveira Martins Filho.
    Os homenageados
    -Gedeão Silveira Pereira: produtor rural
    -Arri Coser: empresário e fundador da rede de churrascarias Fogo de Chão
    -Vergilio Frederico Perius: presidente da Ocergs-Sescoop/RS
    -César Oliveira & Rogério Melo: músicos
    -Bolivar Moura: produtor rural da Estância do Sossego
    -Daniel Randon: vice-presidente de administração e finanças da Randon
    -Dody Sirena: empresário
    -Jair Kobe: humorista, criador do Guri de Uruguaiana
    -Roberto Kovalick: jornalista da Rede Globo
    -Cardeal Dom Cláudio Hummes

  • NA CONTAGEM REGRESSIVA

    De hoje até sexta-feira, a coluna ouvirá representantes de entidades do setor para saber a expectativa para a Expointer deste ano.
    "Nos últimos quatro, cinco anos, a Expointer tem sido muito boa para a ovinocultura. Neste ano, temos grande quantidade de animais vindos de outros Estados. Só de uma raça, estão vindo cem exemplares de São Paulo. A feira sempre passa por cima dos problemas".
    Paulo Schwab,
    Presidente da Associação de Criadores de Ovinos,
    Acrescentando que neste ano asinscrições para a feira cresceram 13,12%
    Colaborou Joana Colussi

  • Fonte : Zero Hora