CAMPO ABERTO | Gisele Loeblein – CUSTOS E CRISE INIBEM INSCRIÇÕES DA EXPOINTER

 
  •  

    A exemplo do que ocorreu nos últimos dois anos, o alto custo de manutenção dos animais fora das propriedades alimenta a perspectiva de nova redução no número de inscrições da 38ª Expointer.
    Como o prazo termina à meia-noite de hoje, os números consolidados só devem ser conhecidos na próxima segunda-feira. Em 2014, a redução foi de 12,3% na comparação com o ano anterior, somando 4,9 mil exemplares.
    Representantes de associações de raça percebem procura menor também neste ano.
    – Os custos foram agravados pela crise econômica, que se reflete em todos os segmentos. Mesmo na agropecuária, que segue segurando as pontas da economia – avalia Amilton Cardoso Elias, superintendente da Associação Nacional de Criadores Herd-Book Collares.
    Números extraoficiais mostram que entre as raças bovinas inscritas até agora pela associação (angus, charolês, polled hereford, normando, red poll, shorthorn, pardo suíço e maine anjou), a queda é de 10,9%.
    Para Eduardo Finco, presidente da Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raças (Febrac), mais do que a queda nas inscrições, o que preocupa é saber quantos animais, de fato, participarão da exposição.
    – Não é só o cenário econômico. Notícias como a do temporal que danificou o parque também podem ter feito alguém que estava na dúvida desistir – entende Finco, que reconhece o esforço empenhado para colocar o Parque de Exposições Assis Brasil em ordem, a tempo da feira.
    Existem exceções a essa tendência. Como, por exemplo, os ovinos, que tiveram alta de 14,8% nas inscrições. E nos bovinos, as raças hereford e braford – com alta de 20% nos animais de argola.
    – Se houver redução, não acredito que seja significativa a ponto de comprometer a exposição – entende o secretário de Agricultura, Ernani Polo.

  • EM OUTRA PISTA

    Tem novidade entre os animais inscritos para participar da 38ª Expointer. A raça de cavalos puro sangue inglês fará sua estreia no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, com a participação de 10 animais – cinco machos e cinco fêmeas. Outros cinco suplentes também foram habilitados na pré-seleção realizada nesta semana no Jockey Club em Porto Alegre. Entre os jurados, estava o ex-ministro Luiz Fernando Cirne Lima.
    – O objetivo é divulgar a raça para o público em geral e, também, mostrar que o jockey está em pleno funcionamento – diz o veterinário Guilherme Gonçalves Costa, responsável técnico do Jockey Club.
    O Rio Grande do Sul é uma referência em haras de animais da raça. O puro sangue inglês tem entre suas principais características a velocidade. Justamente por isso, é usado para provas de corrida de longa, média e curta distância.
    Em alguns casos, também para provas de salto.
    – Temos 740 animais da raça só dentro do jockey. A cada quinta-feira, em média, 110 participam das provas – completa Costa.
    Como costumam levar animais para competições fora do Estado, os criadores da raça não estão tendo maiores dificuldades, afirma o veterinário, para cumprir com a exigência das negativas de exames de mormo. No Rio Grande do Sul, o teste passou a ser pré-requisito após a confirmação de um caso da doença no município de Rolante.

  • EDITAL NA RUA

    A dispensa de licitação para o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) do parque Assis Brasil, em Esteio, sai no Diário Oficial de hoje, segundo o coordenador jurídico da Secretaria da Agricultura, Jivago Rocha Lemes. O edital para contratação também deverá ser liberado ainda hoje. O pregão sairia na segunda.
    A opção pela terceirização do PPCI, antecipada pela coluna, foi tomada para que o serviço possa ser concluído a tempo da Expointer. A Secretaria de Obras diz não ter todos equipamentos necessários para a tarefa.
    O plano é exigência para a liberação da área pelos bombeiros.

  • COM 11,5 MIL CONTRATOS DE SEGURO DO PROAGRO FEITOS PARA O TRIGO NO ESTADO, O BANCO DO BRASIL CONTABILIZA, POR ENQUANTO, VOLUME BAIXO DE SOLICITAÇÕES POR CONTA DE PREJUÍZOS. FORAM 14 PEDIDOS ATÉ AGORA.

  • PEDIDOS LÁCTEOS

    Tem espaço para reivindicações ao governo federal e ao estadual no manifesto elaborado por entidades durante o Congresso Internacional do Leite. Restringir a importação de produtos lácteos do Mercosul, acelerar a habilitação de novas plantas brasileiras à exportação e compras governamentais sistemáticas de leite em pó são os pedidos feitos à União. As medidas ajudariam a manter o equilíbrio no mercado interno. O argumento vem do aumento expressivo das importações brasileiras no primeiro semestre.
    No Estado, a pressão é para que o governo mantenha o percentual de crédito presumido do setor.
    A produção mundial de trigo no ciclo 2015/2016 deverá encolher em 1 milhão de toneladas, segundo a mais recente projeção do Conselho Internacional de Grãos. A colheita está estimada em
    710 milhões
    de toneladas, reflexo de revisões para baixo na safra americana e também na União Europeia.

  • SÓ FALTAVA ESSA

    A violência não está poupando ninguém. A sede da Emater, em Porto Alegre, foi alvo de criminosos. Quatro homens armados invadiram o prédio por volta das 23h de quarta-feira, fazendo vigia e um funcionário reféns.
    O bando tentou arrombar um caixa eletrônico, mas fugiu após o alarme disparar. Não sem antes levar objetos pessoais do vigia e máquinas fotográficas e filmadoras antigas, parte do museu da instituição. A direção da Emater diz que estão sendo tomadas medidas para reforçar a segurança.

  • NO RADAR

    ESPAÇO ESPECÍFICO para a venda de orgânicos que está sendo criado dentro da Ceasa, na Capital, deve ficar pronto já no mês de agosto, segundo projeção da Secretaria de Desenvolvimento Rural, à qual a Ceasa está vinculada.

    Fonte : Zero Hora