.........

CAMPO ABERTO | Gisele Loeblein

.........

 

  • PONTOS DE CONEXÃO

    Com 13 mil integrados no Brasil e 2,5 mil no Rio Grande do Sul na produção de suínos e de aves, a BRF começa a fortalecer neste mês, em unidades gaúchas – Lajeado, Marau, Garibaldi e Serafina Corrêa –, mecanismo para facilitar a comunicação entre produtores e empresa. São as Comissões de Acompanhamento, Desenvolvimento e Conciliação da Integração. Com periodicidade de 60 a 90 dias, se propõem a ser canais para dúvidas sobre contrato, segurança, sanidade, entre outros.
    – Um dos artigos do projeto de lei sobre a produção integrada é da formação dessas comissões. Mas não podemos mais esperar o andamento da lei para ter essa iniciativa – explica Paulo Rossato, coordenador de sustentabilidade agropecuária da BRF.
    Implementadas nos últimos três anos (e agora consolidadas como política – as comissões têm relação com o foco no processamento de proteína animal (é dona da marcas Sadia, Perdigão e Qualy), após a venda do segmento leite (Elegê e Batavo) para a francesa Lactalis.
    Cada comissão é formada por 10 integrantes, sendo cinco indicados pela BRF e cinco pelos produtores.

  • NO RADAR

    PROPOSTAS DE mudanças para o Plano Agricultura de Baixo Carbono (ABC) compiladas pelo Observatório ABC foram entregues ao governo federal. Lançado em 2013, o ABC prevê ações incluindo crédito para a redução da emissão de gases de efeito estufa e deverá ser revisado ainda em 2015.


    TEM SENSAÇÃO DE DÉJÀ VU O ANÚNCIO DE QUE A COBERTURA DO PROAGRO SERÁ DE 80% SOBRE A RENDA ESPERADA. NO ANO PASSADO, TAL MEDIDA ENTROU NO PACOTE DO PLANO SAFRA FAMILIAR ANUNCIADO, MAS CIRCULAR DO BANCO CENTRAL ADIOU A ENTRADA EM VIGOR PARA 1º DE JULHO DESTE ANO.

  • PELO SEGURO-DESEMPREGO

    A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) começou a batalha para que o governo apresente novas medidas para garantir aos trabalhadores rurais acesso ao seguro-desemprego. Ontem, a entidade conversou com o ministro do Trabalho, Manoel Dias, sobre o assunto.
    Na semana passada, após o veto da presidente Dilma Rousseff a artigo que tratava da situação dos trabalhadores do campo, a Contag publicou nota de repúdio em seu site.
    – Claro que há diferenças entre o trabalhador rural e urbano, isso tem de ser levado em consideração, e a discussão vai clarear os pontos de vista – afirmou o ministro.
    O artigo vetado pela presidente previa as situações em que o benefício poderia ser acessado pelo trabalhador rural.


    A SECRETARIA da Agricultura acertou ontem com o Banrisul a prorrogação das parcelas de custeio dos produtores de arroz. As com vencimento em junho ficam para agosto, e as que venceriam em julho, para setembro.

Fonte: Zero Hora