CAMPO ABERTO – CICLO INCOMUM DO TRIGO NO ESTADO

A atual safra de trigo do Rio Grande do Sul é classificada como a mais atípica. Começou com muita chuva, que atrasou o plantio e depois teve período de seca. Agora, no final, precipitações em excesso, granizo e altas temperaturas fazem as projeções de danos crescerem, explica Hamilton Jardim, presidente da Comissão de Trigo da Federação da Agricultura do Estado (Farsul).

Os moinhos monitoram a situação. Segundo Andreas Elter, presidente do Sindicato da Indústria de Trigo do Estado, ainda é cedo para quantificar o prejuízo e seus efeitos.

O consumo anual das empresas no RS é de 1,7 milhão de toneladas de trigo. Cerca de 1,4 milhão de toneladas são da produção local. A colheita do RS está projetada em 1,8 milhão de toneladas.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora