.........

CAMPO ABERTO – BASE DE COMPARAÇÃO ALTA, RECUO À VISTA

.........

A agropecuária brasileira deve fechar 2017 com o maior crescimento entre os setores da economia: entre 9% e 11%. Diante de base de comparação tão alta, a projeção é de um 2018 com resultados inferiores. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em seu balanço de final de ano, estimou que no próximo ano, o PIB fique reduzido à metade, com alta de 5%.

No agronegócio, que inclui a indústria, o PIB deverá crescer entre 0,5% e 1%.

No levantamento da Fiergs, a aposta é de 2017 igualmente farto, com a agropecuária crescendo 11,6% no Estado. Para o próximo ano, no entanto, prevê recuo de 3% (cenário base).

A redução prevista na colheita estimula projeções de recuperação nos preços que neste ano deixaram a desejar.

– O clima foi excelente, mas os preços, ruins – diz Bruno Lucchi, superintendente técnico da CNA.

DEPOIS DE SEIS MESES DE SALDO NEGATIVO, O AGRONEGÓCIO FECHOU OUTUBRO COM A CRIAÇÃO DE 3,57 MIL POSTOS DE TRABALHO NO ESTADO, SEGUNDO A FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA.NO ACUMULADO DO ANO, FORAM ABERTAS 3,81 MIL VAGAS NO SETOR.

gisele.loeblein@zerohora.com.br gauchazh.com/giseleloeblein 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora