CAFÉ – CONCURSO – Melhores cafés naturaris do Brasil serão definidos nesta segunda

Etapa nacional selecionou 39 amostras que serão avaliadas para a definição dos vencedores do Cup of Excellence – Naturals 2015

O júri nacional do Cup of Excellence – Naturals 2015 encerrou seus trabalhos na sexta, dia 4, e aprovou 39 amostras para a fase final, quando profissionais internacionais virão ao Brasil para elegerem os melhores cafés naturais colhidos e secos com casca da safra 2015. O concurso é uma realização da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Alliance for Coffee Excellence (ACE), contando com o apoio do Sebrae.

Conforme apuração da Safe Trace Café, empresa responsável pela auditoria do certame, seis regiões tiveram suas amostras classificadas para a fase internacional: 25 amostras da Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas (64,10%); sete do Sul de Minas Gerais (17,95%); quatro da Indicação de Procedência da Alta Mogiana de São Paulo (10,26%); uma da Denominação de Origem do Cerrado Mineiro (2,56%); uma das Matas de Minas (2,56%); e uma da Média Mogiana Paulista (2,56%). O resultado completo pode ser acessado no site da BSCA (http://bsca.com.br/cup-of-excellence-late-harvest.php?id=28).

Na fase internacional, que ocorrerá em Franca (SP), de 7 a 11 de dezembro, degustadores e classificadores dos principais países importadores do mundo reavaliarão as amostras, com base em propriedades como corpo, sabor, doçura e grau de acidez, classificando-as com notas de 0 (zero) a 100, conforme tabela oficial do concurso, e definirão os campeões, que serão ofertados em disputado leilão mundial, via internet, no qual são alcançados preços muito maiores que os pagos no mercado convencional.

O Cup of Excellence voltado à seleção dos cafés naturais é realizado exclusivamente no Brasil, o maior produtor global, e tem o intuito de apresentar ao mundo a diversidade e a sustentabilidade dos grãos colhidos e secos com casca. “Os resultados alcançados nas edições anteriores mostram que esta iniciativa foi correta e fundamental para o principal tipo de café colhido no País, o natural, e vem apresentando ao planeta que o produto brasileiro tem qualidade excepcional e em quantidade para atendermos à qualquer demanda existente, haja vista os recordes que vêm sendo quebrados nos leilões”, comenta Vanusia Nogueira, coordenadora nacional do concurso, mencionando o valor de R$ 9.384 (US$ 3.148) por saca pagas ao campeão da edição 2014.

Fonte : Canal Rural