.........

Café com selo do Certifica Minas entra no mercado internacional

.........

O primeiro lote do produto será embarcado ainda neste mês de julho

por Globo Rural On-line

La Costa

Cafés inscritos no programa começam a chegar no mercado externo ainda neste semestre

A partir deste mês de julho será embarcado pela primeira vez para a Europa um lote de café cultivado nas propriedades mineiras inscritas no Certifica Minas Café – programa do governo estadual coordenado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

Serão vendidas inicialmente 50 mil sacas de 60 quilos, por intermédio da Exportadora de Café Guaxupé, uma das principais empresas privadas individuais do setor, no Brasil, informa o assessor especial de Café da Secretaria, Niwton Castro Moraes.
Ele explica que, para o café exportado neste lote, contando com o diferencial do selo de certificação de propriedade, haverá uma premiação de R$ 3,00 por saca sobre o preço de mercado.
De acordo com o diretor comercial da exportadora, João Carlos Hopp, “cafés com o selo do Certifica Minas procedentes de qualquer região do Estado podem ser incluídos nas exportações por meio da empresa.” Os produtores interessados em colocar seu café no mercado externo devem encaminhar amostras à exportadora localizada em Guaxupé ou Manhuaçu. Com as amostras, deve ser enviado o comprovante de credenciamento no Certifica Minas Café.
Ainda em 2013 deverão ser realizadas também exportações de cafés com o selo UTZ/CMC (parceria UTZ Certified e Certifica Minas Café). Desde maio de 2012 existe um acordo entre a UTZ, sediada na Holanda, e o governo de Minas com o objetivo de ampliar as ações de certificação das propriedades cafeeiras do Estado já implantadas por meio do Certifica Minas Café. Neste caso, as vendas para o mercado internacional serão feitas por intermédio da UTZ.

Maior aceitação

Para o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento, o início das exportações do café com o selo de certificação das propriedades deve reforçar o interesse dos produtores em participar do Certifica Minas Café. “O programa busca principalmente melhorar a gestão das propriedades e criar condições para a maior aceitação do produto das lavouras de Minas no mercado externo e está em expansão. Atualmente, há 1.643 propriedades certificadas e a perspectiva de um registro de 1.750 neste ano”, ressalta.
O Certifica Minas Café tem na sua base um código de conduta para o cumprimento das boas práticas agrícolas. Para conseguir a certificação da propriedade é necessário o atendimento a 95 itens, dentre estes 37 relativos a ações voltadas à preservação ambiental e 26 especificamente sobre produção e conservação dos recursos hídricos nas propriedades.

Executado pela Emater-MG e o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), o Certifica Minas Café leva assistência técnica e orientações para adequação das propriedades. O IMA responde por uma pré-auditoria nas fazendas aptas à certificação. Se aprovada pelo instituto, a fazenda é auditada por uma empresa independente de reconhecimento internacional que concede a certificação.

Projeção mundial

Nascimento considera que iniciativas como o Certifica Minas Café ajudam a reforçar a posição de destaque do produto das lavouras do Estado nas exportações. Em setembro de 2013, Belo Horizonte sediará a Semana Internacional do Café, que incluirá a reunião de 50 anos da OIC (Organização Internacional do Café) e a 8ª edição do Espaço Café Brasi, a maior feira do setor na América Latina.

A Semana é promovida pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), em parceria com a Organização Internacional do Café, Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (Faemg), principal entidade do agronegócio mineiro, Sebrae, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Ministério das Relações Exteriores (MRE) e Café Editora, promotora do 8º Espaço Café Brasil.

Fonte: Globo Rural