.........

Cade dá aval à venda de ativos da JBS à Minerva

.........

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) autorizou a venda de unidades que a JBS possui no Mercosul à Minerva Foods. A decisão foi publicada ontem no "Diário Oficial da União".

Em seu parecer, a Superintendência-Geral do Cade avaliou que a Minerva tem uma "participação de mercado sensivelmente menor do que o grupo vendedor". O negócio entre a JBS e a Minerva não envolve unidade produtivas no Brasil. Sendo assim, o órgão antitruste julgou que essa transação não tem efeitos anticoncorrenciais no país.

Mas a venda dos ativos da JBS ainda não obteve todos os avais para ser concluída. Anunciado no início de junho, o negócio de US$ 300 milhões ainda depende de autorização judicial. O juiz da 10ª Vara Federal de Brasília barrou a venda dos ativos da JBS à Minerva, e a JBS recorre para reverter essa decisão.

O Cade ressaltou que o sinal verde à transação "não tem qualquer repercussão para além destas competências, não descumprindo e muito menos modificando eventuais decisões de outras esferas, incluindo-se o Poder Judiciário, que eventualmente tenham impostos impedimentos ou restrições à consumação da operação".

Procurada, a JBS informou que "prossegue com as medidas necessárias para a conclusão da venda dos seus ativos".

A transação com a Minerva, que inclui nove frigoríficos – cinco na Argentina, três no Paraguai e um no Uruguai -, visa a reforçar o caixa da JBS e reduzir seu índice de alavancagem, em meio ao crédito mais escasso após a delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista. Ao todo, a JBS pretende obter R$ 7 bilhões com a venda de ativos – além das unidades do Mercosul, a empresa pôs à venda a irlandesa Moy Park, a americana Five Rivers, a participação na Vigor e fazendas.

Para a Minerva, a compra dos frigoríficos representa a consolidação da presença no Mercosul, assumindo a liderança no Paraguai e também na Argentina. (Luiz Henrique Mendes, de São Paulo).

Fonte : Valor