.........

Bunge adquire controle do Moinho Pacífico por valor não revelado

.........

 

Segundo o jornal Valor Econômico, a compra inclui a indústria e infraestrutura da empresa no porto de Santos

A multinacional Bunge comprou por um valor não revelado, a totalidade do capital do Moinho Pacífico, um dos maiores da América Latina, comandado pelo empresário Lawrence Pih. A notícia, publicada na edição de hoje do jornal Valor Econômico, revela que além da planta industrial no porto de Santos, a aquisição incluiu a infraestrutura existente no complexo portuário, formada por armazéns para 200 mil toneladas e um berço de atracação para desembarque do cereal importado.

Em entrevista ao Valor, o CEO da companhia, o argentino Raul Padilla, disse que esse é o maior investimento na área feito pela Bunge nos últimos anos. O jornal lembra que em abril do ano passado a Bunge anunciou investimento de R$ 500 milhões na construção de um novo moinho no Rio de Janeiro, com capacidade para moer 600 mil toneladas de trigo. “O Pacífico tem estrutura para moer 700 mil toneladas, mas estava processando efetivamente 250 mil toneladas”, diz a reportagem.

O jornal cita cálculos feitos pela consultoria FG Agro, segundo os quais, com base na média do Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) dos últimos dois anos do Moinho Pacífico, apontam que a empresa sem considerar o berço de atracação em Santos tem um valor entre R$ 600 milhões e R$ 700 milhões. O cálculo foi feito aplicando um múltiplo de oito vezes o Ebitda, o mais usado para empresas dessa natureza, conforme explicou a FG Agro ao valor.

POR VENILSON FERREIRA

Fonte : Globo Rural