BNDES prega substituição de Zé Mineiro

O presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, reiterou ontem, em evento promovido pela Câmara de Comércio Árabe-Brasileira em São Paulo, que o banco, detentor de mais de 20% da JBS, mantém suas demandas sobre a apuração de eventuais prejuízos causados à empresa pelos irmãos Joesley e Wesley Batista, controladores da holding J&F que estão presos preventivamente.

"Já temos uma arbitragem entre o BNDES e a companhia. Queremos que o artigo 159 da Lei das SAs seja respeitado, que seja aberta apuração sobre possíveis prejuízos causados à companhia pelo administrador", afirmou Rabello de Castro. Em comunicados recentes, a JBS tem reiterado que há apurações internas em curso sobre eventuais prejuízos causados pelos controladores.

Sobre a recente indicação do fundador José Batista Sobrinho para CEO da JBS, no lugar de Wesley, o presidente do BNDES disse que se trata de uma decisão transitória e espera que ele seja trocado rapidamente. Segundo ele, Batista Sobrinho, conhecido como Zé Mineiro, "goza do nosso mais amplo respeito", mas, "normalmente, um CEO está mais na faixa dos 40 anos, 50 anos, do que na dos 70, 80". O fundador da JBS tem 84 anos.

Por Luciano Máximo | De São Paulo

Fonte : Valor