Biológicos devem representar 10% dos defensivos usados no Brasil até 2015

Hoje, apenas 5% dos produtos registrados são sustentáveis; novo defensivo contra nematoides está em processo final de avaliação

por Globo Rural On-line

 Shutterstock

Cerca de 95% dos defensivos registrados no Brasil são tóxicos

Em busca de tornar a atividade agrícola  cada vez mais sustentável, o Brasil tem a meta de substituir os agrotóxicos usados no país por produtos biológicos. Hoje, apenas 5% dos agrotóxicos registrados no país são biológicos, mas a expectativa é chegar ao índice de 10% até 2015. Um novo defensivo biológico foi apresentado aos órgãos responsáveis pelo registro do Ministério da Agricultura, visando o controle de nematoides de galhas, na cultura da soja.

O Mapa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) estão em processo final de avaliação do nematicida Nemat (Paecilomyces lilacinus 300g/kg), que combate os nematoides (parasitas presentes no solo que liberam substâncias tóxicas que impedem o desenvolvimento da planta). “Os três órgãos estão interessados na aprovação do defensivo, principalmente por ser menos prejudicial ao meio ambiente. Assim que registrado, poderá ser disponibilizado para os produtores”, salientou o coordenador de Agrotóxicos e Afins do Mapa, Luis Eduardo Rangel.
Mercado que movimenta cerca de US$ 10 bilhões por ano, fabricantes de agrotóxicos estão cada vez mais voltadas à produção de defensivos sustentáveis. 

Fonte: Globo Rural