BIENAL- Sustentabilidade foi destaque no lançamento da Bienal da Agricultura

Ascom Famasul

Nos 37 anos de criação do Estado, a produção de grãos em Mato Grosso do Sul evoluiu de forma sustentável, resultado da capacidade produtiva do produtor rural. "A produção de soja anotou alta de 1.383%, atingindo 7 milhões de toneladas, enquanto que a área aumentou 345% no mesmo período. Já a produção de milho cresceu 4.700% desde 1977, enquanto que a área subiu em menor proporção, com alta de 1.484%", afirmou o presidente da Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito, durante o lançamento da Bienal da Agricultura, nesta quarta-feira (12), na sede da instituição.

A sustentabilidade será pano de fundo para as discussões dos gargalos do setor e para as atividades desenvolvidas durante a  3ª edição da Bienal dos Negócios da Agricultura Brasil Central, que será realizada nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande/MS. A Bienal acontece a cada dois anos, realizada rotativamente nas capitais dos Estados do Centro-oeste. A primeira ocorreu em Goiânia, a segunda em Cuiabá e agora é a vez da capital sul-mato-grossense.

Para acompanhar o perfil sustentável da agricultura da região, a Bienal terá ações inovadoras. ""O crachá, o voucher do almoço, o bolso interno da pasta e até mesmo a capa do bloco de anotações que compõe o kit foram produzidos em papel semente, um material reciclado, ecológico e artesanal que poderá ser plantado", ressaltou o superintendente do Senar/MS, Rogério Beretta, durante a apresentação do evento.

Na Bienal da Agricultura, será distribuída uma caneta biodegradável,  um copo fabricado totalmente com fibras virgens e que pode ser reutilizado. Outra escolha sustentável é a sinalização feita em telas de led.

Beretta apresentou também no lançamento o aplicativo Bienal da Agricultura disponível no App Store e Play Store. A ferramenta trará todas as informações do evento, a biografia dos palestrantes, notícias relacionadas e vai permitir a interação com o público que poderá fazer perguntas durante o debate pelo celular.

Durante o lançamento realizado nesta quarta-feira, Saito salientou também o desempenho do Centro-Oeste que atualmente responde por 42,2% da produção de grãos do País. "Com 87,8 milhões de toneladas, a região demonstra a eficiência do investimento do produtor rural em implementar novas tecnologias e resulta nos números pujantes do agronegócio".

O superintendente do Senar/MS, Rogério Beretta, também apresentou os números do agronegócio da região e a programação completa (clique aqui). "O Centro-oeste é campeão em área, produtividade, produção e exportação de grãos. Mas para avançarmos ainda mais precisamos resolver os entraves do setor. É este o objetivo da Bienal, debater esses gargalos e trazer ainda mais o desenvolvimento do agronegócio, abordando os temas: competitividade, sustentabilidade, tecnologia e inovação".

Para o presidente da Aprosoja/MS – Associação dos Produtores de Soja de MS , uma das instituições apoiadora da Bienal, Christiano Bortolotto, o evento pode aumentar a competitividade do agronegócio sul-mato-grossense e do Centro-oeste. "Os temas que serão abordados contribuem para a melhora do trabalho do homem do campo, objetivo principal da Aprosoja/MS".

O presidente da Embrapa Gado de Corte, Cleber de Oliveira, destacou fatores do desempenho do setor na região. "Falar da Bienal em Mato Grosso do Sul é redundante porque o Estado é pioneiro em tecnologia, educação, relação trabalhista. Além disso, os temas escolhidos para o evento foram bem selecionados para que consigamos futuramente suprir a demanda de 40% da produção de alimentos. Para ser alcançado esse objetivo passa pela produtividade e depende de inovação".

Participaram também do lançamento da Bienal da Agricultura, o secretário adjunto de Produção e Agricultura Familiar, Jerônimo Alves, o diretor tesoureiro, Luis Alberto Novaes Mores e a diretora secretária da Famasul, Terezinha Candido de Souza, gestor do departamento técnico da federação, Lucas Galvan, presidente da OCB/MS – Organização das Cooperativas do Brasil, Celso Ramos Regis, o superintendente de Ciência, Tecnologia e Inovação da Secretaria de Cultura, Turismo Empreendedorismo e Inovação do Governo do Estado, Renato Roscoe, diretor do Conselho do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae MS, Tito Estanqueiro, diretor tesoureiro do Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS) e conselheiro da Famasul, Ruy Fachini, entre outras lideranças políticas e do setor.

Sobre a Bienal – A Bienal dos Negócios da Agricultura Brasil Central é vitrine do agronegócio da região Centro-Oeste. Traz para discussão os temas mais emergentes do setor e já está na agenda dos principais eventos agro do País. É realizado pelas federações de agricultura e pecuária dos estados de MS (Famasul), de MT (Famato), de GO (Goiás) e do Distrito Federal (Fape-DF), de forma rotativa. A edição 2015 será realizada em Campo Grande (MS) e tem patrocínio do Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, Senar – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, Monsanto, Bayer, Dow, Basf e OCB Centro-Oeste – Organização das Cooperativas do Brasil.

O evento conta com o apoio do Governo do Estado de MS, da Aprosoja/MS, da Fundems – Fundo para o Desenvolvimento das Culturas de Milho e Soja, da Fundect – Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul, do Banco do Brasil e é realizado em parceria com o SBA – Sistema Brasileiro do Agronegócio, com a TV Morena e com a Revista Granja. Para mais informações, acesse www.bienaldaagricultura.com.br

Fonte : Famasul