.........

Bancada ruralista quer votar Código Florestal na Câmara ainda em 2011

.........
Texto foi alterado pelo Senado nesta semana e terá de voltar à Casa

A Frente Parlamentar da Agropecuária na Câmara dos Deputados negocia para tentar votar o projeto do novo Código Florestal ainda neste ano.

O presidente do órgão, Moreira Mendes (PSD-RO), afirmou que vai conversar com o presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), para viabilizar a inclusão da proposta na pauta.
Os deputados já haviam votado e aprovado a reforma do Código Florestal em maio deste ano, mas as alterações feitas pelos senadores nesta semana fez com que o texto voltasse à Câmara.
O Código Florestal fixa regras para o uso do solo brasileiro e tenta estabelecer um equilíbrio entre a preservação ambiental e a produção agropecuária.
Maia já havia dito, nesta semana, que achava pouco provável colocar a proposta em votação ainda em 2011. Segundo ele, o texto contém muitos pontos polêmicos, o que deve estender as discussões.
O deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), um dos representantes da bancada ruralista na Câmara, defende cautela na votação da matéria e mais prazo para a análise, pois considera que os deputados deveriam retirar as mudanças feitas pelo Senado, que em sua opinião vão implicar em perda da área produtiva atual.
Moreira Mendes lembra, porém, que há um movimento grande dos agricultores para que o assunto seja resolvido neste ano.
– A nossa intenção é construir um caminho de entendimento para que eventuais modificações sejam feitas por consenso e que a gente consiga rapidamente votar. Eu quero dizer que, na minha avaliação pessoal as modificações introduzidas no Senado melhoraram o texto.
O texto aprovado pelo Senado estabelece, entre outros pontos, que os imóveis rurais em áreas de preservação permanente, ao longo de rios com largura de até 10 metros, poderão manter essas atividades, independentemente do tamanho da propriedade. Mas o projeto torna obrigatória a recomposição das margens desses rios em até 15 metros.
Na próxima terça-feira (13), a Comissão de Agricultura da Câmara vai discutir o texto aprovado pelos senadores e tentar fechar uma posição consensual sobre o assunto.

Fonte: Do R7, com Agência Câmara