.........

Artistas e líderes políticos se reúnem em manifesto contra novo Código Florestal

.........

Fonte:  SRZD

Thaiane Silveira | Entretenimento | 06/12/2011 01h49

Foto: Thaiane Silveira - SRZDA campanha Floresta Faz a Diferença reuniu vários artistas, políticos, cientistas e organizações que compõem o Comitê Brasil pelas Florestas e Desenvolvimento Sustentável no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro na noite nesta segunda-feira para um último grito em manifesto contra a aprovação das mudanças no novo Código Florestal que pode ser aprovado pelo senado nesta terça-feira.

O novo projeto de lei, se aprovado, representa perdas irreparáveis ao meio ambiente como a anistia a desmatadores irregulares, diminuição da proteção das margens dos rios e favorecimento da expansão do agronegócio sobre biomas brasileiros.

O manifesto começou por volta das 22h com o discurso da mestre de cerimônias Marina Person. "Mais de um milhão e 100 mil assinaturas foram entregues agora no dia 29 no senado (…) então para evitar um desastre maior com esse código em ação a gente está pedindo a presidenta Dilma Rousseff que cumpra o compromisso que ela assumiu no segundo turno nas eleições 2010", declarou ela.

"Ela (Dilma) garantiu especificamente o veto as propostas que reduzam áreas de reserva legal e de preservação permanente e veto a anistia para desmatadores. (…) Nós acreditamos sinceramente que a presidenta Dilma não vai querer passar na história como o governo que patrocinou o maior retrocesso na política ambiental brasileira", completa Marina

Em seguida, a pedido de Marina os convidados acenderam seus isqueiros, distribuídos na entrada, em protesto às queimadas na floresta amazônica e um coro pediu: "veta Dilma!"

Foto: Thaiane Silveira - SRZDAntes do ato de manifesto os convidados foram recebidos com um coquetel. Durante a festa o SRZD falou com o ator Victor Fasano que considerou o ato um "retrocesso gigantesco". "Porque o mundo inteiro diz para preservar a floresta e nós somos o único país do mundo que tem essa possibilidade porque detemos de uma floresta do tamanho da floresta amazônica, no entanto estamos dando um passo irresponsável", disse o ator.

"A Datafolha já provou que 80% dos brasileiros não querem mais o desmatamento, no entanto 80 ou 90 % dos políticos estão votando a favor desse novo código florestal sem ressalvas, o que é terrível", afirma. "O Brasil que deveria dar o passo para ser o país mais ambiental do mundo vai ser um país descredibilizado", completa fazendo referência promessa de Dilma, quando ainda ministra, de que o Brasil iria ajudar a reduzir a emissão de gás carbônico.

"No fundo é uma tristeza que os governantes não representem o povo brasileiro", finaliza o ator que acompanhará a votação nesta terça-feira em Brasília.

Mas a opinião de Fasano não é a única.  A atriz Juliana Lima Verde concorda com o ator e reafirma: "se o código for aprovado realmente vai ser um retrocesso muito grande". Ela também se posicionou contra a construção da usina de Belo Monte. "Existem outras formas de conseguir energia, não precisa ser uma coisa megalomaníaca", declara.

Durante a festa, vídeos institucionais gravados por artistas com supervisão do cineasta Fernando Meirelles foram exibidos em um telão digital em 360°. Para fechar a noite, Thalma de Freitas apresentou um pocket show.