Arrozeiros criticam apoio do governo

O governo anunciou, na tarde de ontem, medidas de apoio aos produtores de arroz. Por meio de leilões públicos e privados, o Ministério da Agricultura espera ajudar no escoamento da produção e melhorar o preço pago ao produtor. A medida, no entanto, não repercutiu bem entre os produtores.
Hoje, o arroz é vendido a R$ 20 por saca de 50 quilos. Com valor mínimo fixado pelo governo em R$ 25,80 e leilões que devem vender o grão a R$ 29 por saca, o preço deve subir. O problema, apontado pelo presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Estado, Renato Rocha, é que a medida não soluciona problemas emergenciais dos produtores:

– Não foi abordada a questão da armazenagem do arroz vendido em leilão público. O governo precisa credenciar armazéns para o produto que for leiloado.

Os produtores reforçam, a partir de hoje, a ação para tentar garantir o credenciamento de armazéns.

Zero Hora