.........

Após reestruturação, Geociclo foca em valor agregado

.........

Luciana Whitaker/Valor
Ernani Judice, da Geociclo, diz que empresa focará na margem, não no volume

A Geociclo, especializada em agrotecnologia e fabricação de fertilizantes organominerais, concluiu processo de reestruturação em que voltou a pertencer integralmente ao empresário Olavo Monteiro de Carvalho, sócio do grupo Monteiro Aranha, e decidiu se concentrar em culturas de maior valor agregado. Após revisar sua estratégia, a empresa, que completa em 2017 dez anos de atividades, pretende ampliar a produção de fertilizantes especiais para quase 100 mil toneladas anuais e alcançar faturamento da ordem de R$ 140 milhões em 2020.

"Vamos focar na margem, não no volume", diz Ernani Judice, diretor-executivo da Geociclo.

Apesar da prioridade em pesquisa e desenvolvimento, a Geociclo se concentrava nos últimos anos na venda de fertilizantes especiais, de base organomineral, para cana-de-açúcar e soja. A nova estratégia é ampliar a base de clientes para segmentos de maior valor agregado, como hortifrúti, café e cereais. "Esses mercados gostam de tecnologia e pagam a mais por isso", afirma Judice.

Segundo Monteiro de Carvalho, o setor cafeeiro de Minas Gerais, por exemplo, maior Estado produtor do país, quer liderar o mercado também em qualidade. "Eles querem fazer o melhor café do Brasil, e foi pedido que entrássemos nessa área [fornecendo fertilizantes especiais]", conta o empresário.

A reestruturação do negócio da Geociclo passou pela mudança do perfil de parceiros, substituindo sócios financeiros, que buscam retorno no curto prazo por parceiros estratégicos, que visam ganhos no longo prazo. Na prática, Monteiro de Carvalho recomprou a participação de dois fundos de investimento na empresa e agora busca parcerias comerciais.

A mais recente parceria nesse sentido foi firmada com a gigante americana Alltech Crop Science, presente em mais de 120 países. Além de abrir caminho para a venda de produtos no exterior, a parceria também facilitará a distribuição dos fertilizantes da Geociclo no Brasil, já que a Alltech distribui produtos em 250 pontos de venda no país.

Na prática, a parceria prevê que a Alltech comercialize os produtos da Geociclo em seus pontos de distribuição. Mas, segundo Judice, é possível que as duas companhias desenvolvam em conjunto produtos específicos especiais para o mercado.

A Geociclo também tem parceria com a Algar Agro, braço do grupo mineiro Algar no setor de agronegócios, para realização de "barter" (troca de insumo por grãos), com o objetivo de oferecer adubos minerais e organominerais aos produtores com os quais a Algar negocia.

A produção da Geociclo é feita na fábrica da companhia, em Uberlândia (MG), que tem capacidade para produzir até 150 mil toneladas/ano de fertilizantes. O produto mistura matéria orgânica com um composto de NPK (nitrogênio, fosfato e potássio), conforme especificações determinadas pela qualidade do solo, clima da região e cultura e outros.

A estimativa da Geociclo é terminar 2017 com produção de 40,5 mil toneladas de fertilizantes especiais e faturamento da ordem de R$ 58 milhões.

Fonte: Valor | Por Rodrigo Polito | Do Rio