.........

ANA restringe irrigação de lavouras no Vale do São Francisco

.........

Desde ontem, os produtores agrícolas do Vale do São Francisco estão proibidos de realizar irrigação de lavouras às quarta-feiras. De acordo com resolução da Agência Nacional de Águas (ANA) publicada no Diário Oficial da União de ontem, as captações realizadas em corpos d’água superficiais perenes de domínio da União estão restritas aos demais dias da semana.

A medida exclui as captações para abastecimento humano e animal e deve vigorar até 30 novembro, com possibilidade de prorrogação caso as chuvas não melhorem na região. Também estão excluídos da medida os produtores que já estão submetidos a regras mais restritivas de uso.

É a primeira vez desde o início da crise hídrica na bacia do São Francisco que a ANA restringe o uso do rio para agricultores e indústria. Segundo a agência, a nova regra afeta mais de dois mil usuários do São Francisco em 14 afluentes de gestão federal, nos lagos dos seis reservatórios da bacia e no complexo Paulo Afonso, na Bahia. Os usuários que descumprirem a medida estarão sujeitos a penas de advertência, multa e até a vedação da bomba de captação.

"Tínhamos a expectativa de que o período úmido de 2016/17, que vai de outubro a maio, pudesse gerar uma recuperação dos reservatórios, mas ele foi o pior período úmido de toda a história da bacia", disse Patrick Thomas, superintendente adjunto de regulação da ANA.

No último dia 12, o volume útil do Reservatório Equivalente da Bacia do Rio São Francisco estava em 18,58% do seu volume útil total. Na mesma data do ano passado, o armazenamento era de 29,13% do volume útil. De acordo com Thomas, mesmo com a restrição na captação, o reservatório de Sobradinho, o mais importante do sistema, deve atingir o volume morto até dezembro. "Até o momento as medidas são essas mas, ao longo deste período seco e em função do que ocorrer, pode ser que a gente adote outras medidas, como reduzir ainda mais a vazão e aumentar a restrição de uso para mais dias", afirmou o representante da ANA.

Desde 2011, a agência vem reduzindo a vazão de Sobradinho, que passou de 1.300 metros cúbicos para 600 metros cúbicos em maio. Segundo os meteorologistas, a região deve receber chuvas dentro da média este ano. Ainda assim, devido à seca que se arrasta desde 2011, o volume não deverá ser suficiente para reverter o quadro de escassez hídrica.

A bacia do rio São Francisco tem mais de 2,8 mil quilômetros em seis Estados do país. No Vale do São Francisco está a principal região produtora de frutas para exportação do Brasil.

"A medida não chega a ser um desastre completo. Não acreditamos que vá prejudicar a produção mas, evidentemente, não é um bom sinal", disse Jorge de Souza, gerente técnico da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas (Abrafrutas).

 

Por Cleyton Vilarino | De São Paulo

Fonte : Valor