AGRONEGÓCIOS – Troca de comando na SFA/RS frustra fiscais

Roberto Schroeder recebeu com surpresa notícia de sua exoneração

Roberto Schroeder recebeu com surpresa notícia de sua exoneração

Marina Schmidt

Nesta quinta-feira, foi publicada, no Diário Oficial da União, a exoneração do médico veterinário Roberto Schroeder da chefia do Superintendência Federal da Agricultura do Rio Grande do Sul (SFA/RS). A notícia de sua saída foi mal recebida pelos fiscais federais agropecuários, especialmente pela nomeação, para ocupar seu lugar, de Luciano Maronezi, nome desconhecido pelos servidores.

Schroeder, médico veterinário e servidor do Ministério da Agricultura há mais de 10 anos, havia assumido o comando da SFA/RS em junho do ano passado, após o superintendente Francisco Signor, que ocupava o cargo havia 12 anos, ter sido exonerado depois de ser indiciado pela Polícia Federal (PF) pelos crimes de corrupção passiva e ativa e formação de quadrilha.

Segundo a PF, foram desviados pelo menos R$ 20 milhões da Superintendência. Schroeder fazia parte de uma lista de seis nomes sugeridos à ministra Kátia Abreu pelos próprios servidores da SFA/RS.

Sem atuação nas mesmas esferas dos técnicos da pasta, Maronezi desponta como mais uma indicação política na visão do servidores de carreira. O novo superintendente é filiado ao PTB, já foi secretário de Meio Ambiente, Minas e Energia da prefeitura de Nova Alvorada e concorreu às eleições como vice-prefeito do mesmo município.

Schroeder, que desde a nomeação deu início a uma gestão mais alinhada às práticas e necessidades dos funcionários de carreira, recebeu a notícia com surpresa. "Fiquei sabendo na quarta-feira, às 18h, mas eu tinha esperança de que seria indicado o nome de algum colega", afirma. "Qualquer colega contaria com todo o meu apoio e dedicação. Tem gente competente, sem dúvida, para assumir essa posição. Não sou insubstituível."

Ao verificar que a indicação contrariava essa prerrogativa, insistentemente defendida pelos fiscais federais, Schroeder estranhou. "É alguém que nunca tramitou nos meios em que a gente circula." O nome sugerido contraria, inclusive, as posições defendidas pela ministra da Agricultura, Kátia Abreu. "Participamos de uma videoconferência nesta semana em que a própria ministra afirmou que o sonho dela é que as superintendências sejam comandadas por cargos técnicos. Mas a maioria dos quadros no comando das superintendências no País não são técnicos", elucida.

A Delegacia Sindical no Rio Grande do Sul do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (DS-RS Anffa Sindical) decidiu realizar mobilização de 24 horas, na próxima segunda-feira, em protesto contra a exoneração de Roberto Schroeder. As atividades ocorrerão em todo o Estado, inclusive em frigoríficos e no porto do Rio Grande. "A SFA/RS foi comandada por 12 anos por uma nomeação política desastrosa, tal qual a realizada agora", critica a delegada sindical Consuelo Paixão Côrtes.

A reportagem do Jornal do Comércio questionou o Ministério da Agricultura sobre a mudança. Em resposta por e-mail, o ministério comunicou que "ainda não tem posicionamento sobre o assunto". Foi tentado também contato com Luciano Maronezi, por celular, sem sucesso até o fechamento da edição.

MARCO QUINTANA/JC

Fonte : Jornal do Comércio