.........

Agronegócios – Soja manterá produtividade na safra 2017/18

.........

A produção por hectare atingiu 54,4 sacas da oleaginosa no ciclo 2016/17, crescimento de 14,9% na comparação com a temporada anterior, quando a média chegou a 47,4 sacas por hectare

Agricultor de Guarapuava (PR) obteve o maior desempenho no Sul

Agricultor de Guarapuava (PR) obteve o maior desempenho no Sul
Foto: Dreamstime

Passo Fundo (RS) – A produtividade da lavoura de soja no ciclo 2017/2018 deve ser, pelo menos, igual a registrada na safra atual. A estimativa é do presidente do Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), Luiz Nery Ribas.

Na safra 2016/2017, a produtividade atingiu 54,5 sacas de soja por hectare, alta de 14,9% ante ao ciclo anterior, quando a média foi de 47,4 sacas de soja por hectare.

"Esperamos que na próxima safra o resultado se mantenha, no mínimo, igual ou aumente. Não adianta voltar na próxima safra com 50 sacas por hectare", disse ele nesta terça-feira (13), durante a entrega do prêmio promovido pelo Cesb.

A produtividade média da cultura se manteve em torno de 47 sacas de soja por hectare por mais de uma década até chegar a este crescimento. Conforme Ribas, essa estagnação se deve a questões como a ferrugem asiática, que diminuiu muito a produtividade e a expansão das áreas de produção, nas quais, inicialmente, chegava ao potencial total. "Com o tempo, conhecimento de causa, materiais genéticos melhores, boas práticas sendo executadas e, claro com clima, solo e ambiente vão ocorrendo as condições para expressar esse potencial".

Para a próxima safra, Ribas espera um resultado semelhante ao da safra recorde registrada em 2016/2017, com 113,92 milhões de toneladas, incremento de 17% em relação ao ano passado, conforme dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). "Depende do clima, claro, mas esperamos algo neste patamar", observou Ribas.

Campeão

O produtor Marcos Antônio Seitz, da Fazenda São Bento, em Guarapuava (PR), obteve a maior produtividade na Região Sul e foi o campeão nacional do Desafio da Máxima Produtividade do Cesb. Ele alcançou um novo recorde de produtividade com 149,08 sacas de soja por hectare. O recorde anterior era de 141,8 sacas por hectare na safra 2014/2015.

"Sabíamos que a produtividade seria mais que 130 sacas por hectare, mas não esperávamos chegar a 149", comentou Seitz. O resultado foi o melhor obtido na propriedade, que teve como média 72 sacas por hectare nesta safra, com 88,3 sacas no melhor talhão na área comercial.

Dos 1,1 mil hectares cultivados com soja na propriedade, cinco mil foram destinados ao desafio do Cesb. Esta área teve tratamento diferente do dispensado ao plantio comercial.

Segundo ele, a adubação e os tratamentos fitossanitários foram essenciais para a obtenção do resultado. Seitz ainda avalia a possibilidade de estender esse tratamento diferenciado a toda a área cultivada com soja. "É algo de se pensar. Mas, acredito que os custos seriam muito altos", salientou. O custo por hectare na propriedade foi de R$ 3,5 mil.

Esta é a quarta participação do produtor de Guarapuava no desafio promovido do Cesb e a segunda vez que ele obteve o título. Na temporada 2012/2013 Seitz foi campeão com 110,5 sacas por hectare.

No Sudeste, o campeão foi José Renato Nunes, de Capão Bonito (SP), com 108,26 sacas de soja por hectare. No Norte e Nordeste, o vencedor foi Leandro Ficagna, de Luiz Eduardo Magalhães (BA) com 95,76 sacas por hectare. No Centro-Oeste o melhor resultado foi o do produtor Elton Zanella, de Campos de Júlio (MT), com 122 sacas por hectare. Em 10 anos, a produtividade cresceu 80% entre os campeões.

Neste ano, o concurso do Cesb recebeu cinco mil inscrições, 12% a mais do que no ano passado. "Nesses nove anos conseguimos cumprir a nossa proposta de provocar os produtores e de ser referência em produtividade de soja, com fatores convergentes aliados como genética, solo manejo do sistema produtivo", contou o executivo da Cesb.

Marcela Caetano

Fonte : DCI