.........

Agronegócios – Frimesa projeta crescimento de 10% por ano

.........

As vendas da cooperativa somaram R$ 2,56 bilhões no ano passado, crescimento de 15% em relação a 2015. Em termos de volume, os negócios foram quase 6% maiores na comparação anual

Empresa tem cinco unidades de processamento de alimentos Empresa tem cinco unidades de processamento de alimentos
Foto: Divulgação

São Paulo – Com investimentos em aumento de produção, abertura de novos mercados e itens de maior valor agregado, a Frimesa espera faturar 10% mais em 2017 ante o ano passado, conta o diretor presidente da cooperativa de carne suína e laticínios, Valter Vanzella.

As vendas da Frimesa somaram R$ 2,56 bilhões no ano passado, crescimento de 15% em relação a 2015. Em termos de volume, a cooperativa negociou quase 6% mais, na comparação anual, devido aos aportes realizados nas linhas de produção.

"Vamos continuar investindo para crescer e desenvolver as cadeias do suíno e do leite dando vazão à necessidade de industrialização das nossas cooperativas filiadas", afirmou ele ao DCI.

Segundo o executivo, atualmente, a Frimesa tem em curso um plano estratégico para o período de 2015 a 2030 que prevê aporte de recursos no aumento de volume, sem perder o foco no mercado, inclusive na segmentação, fator determinante no futuro. No ano passado, a cooperativa paranaense industrializou 349,3 mil toneladas de alimentos (carnes e derivados de leite).

A Frimesa tem cinco unidades industriais, no Paraná e uma no estado de Santa Catarina. A Unidade Industrial de Carnes, em Medianeira (PR) abate diariamente 6,9 suínos. Já as outras quatro unidades são de lácteos. "Hoje, a Frimesa é a maior empresa de abate suíno no Paraná e a quarta maior do Brasil. Enquanto na recepção de leite, figura na segunda posição no Paraná e detém a 13ª colocação à nível nacional", destaca o executivo.

Na visão dele, o desafio da cooperativa "é da porteira para fora" devido a concorrência com grandes processadoras.

"Temos a tarefa de vender todo o volume de produção dos nossos associados e vender de forma que sustente toda a cadeia produtiva", afirma. Ao todo, a Frimesa reúne 908 suinocultores, sendo 76.443 matrizes e uma produção de 1,657 milhão de suínos por ano.

Expansão

Vanzella evitou detalhar o plano de crescimento, mas revelou intenção de construir outras plantas industriais. "Queremos construir outras unidades", garantiu.

Na semana passada, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) informou que recebeu documentos e estudos para a continuidade do licenciamento ambiental para instalação do frigorífico da Frimesa, em Assis Chateaubriand (PR). Os documentos são condicionantes da Licença Ambiental Prévia, emitida em agosto do ano passado pelo órgão ambiental, e exigidos para a próxima etapa – a análise da Licença de Instalação da unidade.

Conforme nota divulgada pelo IAP, o empreendimento conta com investimento de cerca de R$ 2,7 bilhões e parte do projeto será financiada pela agência paranaense do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

A Frimesa também quer romper as barreiras entre estados e avançar pelo País. Depois de se firmar como uma das maiores do Paraná, é hora de ingressar no mercado paulista, explica a supervisora de marketing da cooperativa, Elis D´Alessandro.

"Além do feito inédito de divulgação da marca na Grande São Paulo a fim de alcançar os milhões de consumidores da capital paulista e municípios metropolitanos, teremos, pela primeira vez, anúncios na mídia nacional", ressalta ela.

A cooperativa possui um portfólio de mais de 450 produtos, entre carnes e lácteos.

"Vamos continuar atentos às tendências do mercado, buscando produtos de valor. Isso significa que temos que sempre investir em tecnologia, processos industriais e inovação", conclui Vanzella.

Vanessa Stecanella

Fonte : DCI