.........

Agronegócios – Conab eleva em mais 1% a estimativa de safra

.........

De acordo com o nono levantamento feito pela estatal, a produção vai atingir o recorde de 234,3 milhões de toneladas no ciclo 2016/17 ante 186,6 milhões de toneladas da temporada 2015/16

A expansão na área plantada e a produtividade vão puxar produção A expansão na área plantada e a produtividade vão puxar produção
Foto: Dreamstime

São Paulo – A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) elevou em mais 1% sua previsão para a safra de grãos 2016/17 no Brasil. Segundo a 9ª estimativa para o ciclo, a produção brasileira atingirá o recorde de 234,3 milhões de toneladas.

O montante é 25,6% superior a produção agrícola brasileira na temporada 2015/16, conforme levantamento divulgado nesta quinta-feira (8) pela Conab.

Os responsáveis pela supersafra atual foram o crescimento de área e a produtividade média. A previsão é de ampliação de 3,7% na área total, podendo chegar a 60,5 milhões de hectares, incluídas as culturas de segunda e terceira safras e as de inverno, aponta a estimativa.

Já a produção da soja deve crescer 19,4% e chegar a 113,9 milhões de toneladas, com ampliação de 1,9% na área plantada estimada em 33,9 milhões de hectares. No caso do milho total, a produção deve alcançar 93,8 milhões de toneladas nesta safra, 41% acima da safra 2015/16. "A estimativa é de 30,3 milhões de toneladas para a primeira safra e de 63,5 milhões para a segunda. A área total deve ser de 17,3 milhões de hectares, com uma ampliação de 8,9%", acrescenta a Conab, em nota. Milho e soja respondem por quase 90% dos grãos produzidos no país.

O feijão primeira safra, que está no final da colheita, deve alcançar uma produção de 1,39 milhão de toneladas, resultado 34,1% superior ao produzido em 2015/2016. Já a segunda safra deve alcançar 1,31 milhão de toneladas, sendo 639,4 mil toneladas do grão cores, 208,6 mil toneladas do preto e outras 460,1 mil toneladas do feijão caupi.

A produção do feijão total teve atingir 3,4 milhões de toneladas, numa área de 3,1 milhões de hectares. Com referência ao algodão pluma, o crescimento é de 15,4%, podendo chegar a 1,5 milhão de toneladas, mesmo com uma estimativa de redução de 1,7% na área cultivada.

Por outro lado, a Conab projetou queda de 8,8% na área de trigo, podendo chegar a 1,93 milhão de hectares contra 2,1 milhões de hectares da safra passada. Com isso, a produção sofre uma redução de 22,6%, a 5,2 milhões de toneladas. A aveia, ao contrário do trigo, apresenta ganho de área de 3,4%, podendo alcançar 301,5 mil hectares. A produção deve chegar a 705,7 mil toneladas.

Da redação

Fonte DCI