.........

Agronegócio de Ribeirão é exemplo para o Brasil, diz secretária

.........

Fonte : EPTV.com – Fabiana Assis

Mônika Bergamaschi afirma que se o país se espelhasse na região seria uma potência mundial

A engenheira agrônoma Mônika Bergamaschi nasceu em São Carlos, formou-se em Jaboticabal e, há dez anos, após um período em São Paulo, mudou-se para Ribeirão Preto para fundar a unidade do interior paulista da Associação Brasileira do Agronegócio. No início deste mês, ela deixou a cidade para assumir a o cargo máximo da agricultura paulista.

Mulher focada no empreendedorismo agrícola, procurou, em seu tempo na Abag, divulgar a importância do agronegócio para o país e estimular o crescimento do setor de forma confiante e sustentável. Agora, à frente Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo, ela segue enfrentando os desafios de um mundo masculino, chegando com uma visão de sustentabilidade e competitividade para a agricultura paulista.

A secretaria recebeu o EP Ribeirão para uma conversa sobre o potencial agrícola e econômico da região.

Primeira mulher na Secretaria

Primeira mulher a ser indicada como secretaria da Agricultura, desde a criação da pasta, há mais de cem anos, Mônika Bergamaschi está acostumada a vencer desafios no mundo predominantemente masculino da agricultura. Sua indicação, segundo ela, foi uma valorização do trabalho de todas as mulheres da Secretaria.

Ribeirão na liderança

A indicação de Mônika Bergamaschi coloca a região de Ribeirão Preto no topo dos dois maiores cargos ligados à agricultura do País, uma vez que o ministro da Agricultura Wagner Rossi também é da cidade. A nova secretaria relaciona sua nomeação ao desejo de Geraldo Alckmin de colocar o setor produtivo representativo em seu governo.

Agricultura exemplo

“Se o Brasil todo pudesse se espelhar no agronegócio da região de Ribeirão Preto seriamos uma potencia no cenário mundial”, afirma Mônika Bergamaschi, que classifica a agricultura local como moderna e dinâmica, culturas tecnificadas, auxiliado por grandes universidades que fomentam o ensino e a pesquisa. Mas, segundo a secretária, há ainda o desafio de ter competitividade com sustentabilidade.

Vocação sucroalcooleira

Capital da maior região sucroalcooleira do mundo com 50% de sua área agrícola coberta por cana-de-açúcar, a região de Ribeirão Preto pode se destacar em outras culturas, acredita a secretaria que visualiza um “novo Chile” na região, com a conversão de pequenos produtores, que deverão deixar a cana por conta da mecanização, para culturas com maior valor agregado.

Capital do Agronegócio

Mônika Bergamaschi foi a precursora em batizar Ribeirão Preto de capital do agronegócio. Agora, a oficialização do título deve virar Projeto de Lei, com total apoio da secretária da Agricultura. “Vem no sentido de valorizar a agricultura. Se o cidadão urbano tiver a exata noção da importância do campo, sem dúvida nenhuma esse país, de vocação predominantemente agrícola, tem muito a ganhar”, diz.

Veja os Vídeos no site fonte: Clique aqui