AGRICULTURA – Linhas de crédito da Caixa destinadas a cooperativas são insumo para o agricultor crescer

Seguindo a premissa de que a união faz a força, a Caixa concede crédito a cooperativas agropecuárias

caixa_publi_laptop_computador_homem (Foto: Thinkstock)

 

Se por um lado as cooperativas agropecuárias tem o propósito de estimular o aumento da produção, ampliar o poder de negociação e discutir condições comerciais mais justas para o produtor rural, por outro, as linhas de crédito da Caixa são ferramentas fundamentais para a realização de seus objetivos. O acesso coletivo às linhas de crédito permite que os agricultores associados a cooperativas se fortaleçam com segurança, por meio da economia de escala.

Com o apoio das cooperativas e parcerias, o pequeno produtor rural cooperado consegue, por exemplo, exportar parte de sua produção. Sem contar que, ao reunir os produtores, as cooperativas permitem ainda melhores condições em todas as etapas do processo de produção. Adquirir insumos com preços de atacado, utilizar máquinas e implementos de alto custo e obter capacidade de armazenagem são alguns dos benefícios que podem contar os mais de um milhão de associados em cooperativas agrícolas no País. A estatística do cooperativismo rural é da Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo (Ocesp).

Crescendo com a Caixa

O crédito de Comercialização da Caixa, por exemplo, é parceiro na hora de discutir condições comerciais mais justas para o agricultor. Com o crédito concedido a juros que variam de 8,75% a 10,5% ao ano, as cooperativas conseguem antecipar os recursos que o produtor rural irá receber com a comercialização, assim que ele entrega o seu produto para venda.

Segundo Márcio Recalde, Superintendente Nacional do Agronegócio da Caixa, o crédito de Comercialização estende seus benefícios ainda aos cooperados que preferem armazenar a produção para vendê-la em momento mais oportuno de mercado.
Outra linha de financiamento parceira, que segue a mesma filosofia das quase 1600 cooperativas agropecuárias espalhadas pelo País é o Custeio Caixa.

O crédito destinado a aquisição de insumos para adiantamento aos cooperados é oferecido a juros a partir de 8,75% ao ano. “Além de oferecer este portfólio, a Caixa atua no mercado tendo ainda como diferenciais a qualidade e agilidade no atendimento”, diz Recalde. “Isto, para reduzir o tempo de espera para a liberação do crédito e fortalecer a parceria com as cooperativas e os produtores rurais.”

As culturas de algodão, alho, amendoim, arroz, café, cana-de-açúcar, cenoura, eucalipto, feijão, girassol, laranja, maça, mandioca, milho, soja, sorgo, tomate, trigo e uva, além da atividade pecuária podem contar com o Custeio Caixa para adquirir insumos, sementes, fertilizantes, vacinas e rações.

A união faz a força

Para Flávia Sarto, consultora de agronegócios do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/SP), como nas empresas, as cooperativas precisam de crédito para investimentos, capital de giro e custeio da produção.

“A disponibilidade de recursos financeiros permite aos produtores e cooperativas antecipar a compra de insumos, reduzindo custos”, diz Flávia. “O crédito é importante também para financiar gastos na safra e nas receitas no período de entressafra.”

Ainda de acordo com a consultora, o acesso ao crédito por si só já é um benefício. Mas, contar com linhas de crédito a taxas diferenciadas, pelo fato de tratar-se de cooperativas agropecuárias, é investir com segurança. Afinal de contas, as cooperativas já têm a seu favor o relacionamento e oacompanhamento das condições econômicas de seus cooperados. “Isso faz com que elas atuem com responsabilidade na análise e no estabelecimento dos limites de crédito para cada cooperado, de modo a não contribuir para o seu endividamento”, diz Flávia.

POR ESTÚDIO GLOBO – CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Fonte : Globo Rural