Agricultores trancam rodovias

Produtores rurais gaúchos aderiram ao Dia Nacional de Luta e realizaram diversas mobilizações ontem no Estado. Milhares de agricultores ligados à Fetraf se reuniram em pelo menos seis municípios, trancando quatro rodovias por uma vasta pauta de reivindicações. Entre elas, o repúdio ao emplacamento de tratores, ao conflito agrário e melhores condições elétricas. Na avaliação da coordenadora da Fetraf, Cleonice Back, os protestos já resultaram em quatro agendas com autoridades do setor primário.

Na BR 153, em Erechim, 800 agricultores e 50 tratores bloquearam a via pela manhã. Pela tarde, foram até o INSS entregar pauta de reivindicação pela ampliação da licença maternidade de quatro para seis meses. Em São Lourenço do Sul, 130 tratores e 300 produtores bloquearam a BR 116, causando congestionamento de 7 quilômetros. No trevo de acesso a Humaitá, na BR 468, o bloqueio total da rodovia reuniu 300 pessoas e cem tratores. Em Ipê, 300 agricultores se manifestaram com 200 tratores na BR 122.

Em Sananduva, mais de 1,5 mil pessoas foram até propriedade ocupada por índios no começo da semana. Em Passo Fundo, 500 produtores fizeram uma caminhada até o Detran e depois até a Funai, onde acamparam.

Em Porto Alegre, dezenas de mulheres do Movimento das Trabalhadoras Desempregadas (MTD) foram até a frente da superintendência da Conab/RS para pedir maior atenção ao Programa de Aquisição de Alimentos. Elas chegaram em três ônibus e foram atendidas pelo gerente da Conab, Ernesto Irgang, que recebeu documento entregue pelas lideranças com a pauta de reivindicações. ‘São ações de cunho político, mais voltadas ao Ministério do Desenvolvimento Agrário e Ministério do Desenvolvimento Social’, avalia Irgang. Ficou agendada reunião com o superintendente da Conab, Glauto Melo Junior. Após meia hora de mobilização, o grupo rumou ao Centro da Capital para se juntar aos demais manifestantes.

Fonte: Correio do Povo