.........

Agricultores aderem à renegociação das dívidas

.........

Débitos em custeios e investimentos em produção têm descontos de até 85% e prazos prorrogados

Iguatu. Até o fim deste ano, os produtores rurais têm o prazo para renegociar dívidas referentes a financiamentos para custeio e investimentos. Diariamente, centenas de agricultores procuram as agências bancárias para aderir ao programa que oferece descontos de até 85% e prorrogação de vencimentos. A movimentação tem sido intensa. Após a quitação, existe a possibilidade de novos empréstimos.
Prazo para as renegociações segue até o fim deste ano, mas agências
fotos: honório barbosa

As representações dos trabalhadores rurais avaliam como positiva as medidas adotadas pelo governo em socorro aos produtores rurais que enfrentam dois anos seguidos de seca, perda da lavoura de grãos e morte do rebanho bovino.
Sem renda no campo, a inadimplência cresceu. A renegociação vai permitir aos agricultores saldarem suas dívidas e tentarem novos projetos.
A agência do Banco do Nordeste nesta cidade, na região Centro-Sul, atende diariamente uma média de 50 produtores rurais que pretendem aderir ao programa de renegociação das dívidas. Em vigor, há duas leis e duas resoluções que atendem os agricultores castigados pela seca.
"É uma boa oportunidade que precisa ser aproveitada pelos produtores", disse o gerente da unidade, Francisco Heriberto Chaves Batista.
Pronaf
A renegociação atende financiamentos para custeio e investimentos por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE), modalidade rural. Para os contratos até 30 de dezembro de 2006, no valor de R$ 35 mil, há rebate de 85% no saldo devedor.
Para os financiamentos até R$ 100 mil, foram concedidos dois anos de carência e prorrogação de prestações anuais com bônus de 15% no valor principal e nos encargos. "O setor de agricultura de base familiar (financiamento com recursos do Pronaf) é o mais beneficiado", observa o gerente regional da Ematerce, Joaquim Virgulino Neto.
Em alguns casos, as parcelas vencidas e prestes a vencer foram prorrogadas para 2015 e 2016. "A demanda já esteve maior, cerca de 100 produtores atendidos diariamente, mas agora caiu para a metade", observa a encarregada do setor de renegociação, Aila Holanda Bastos. "Os produtores estão aderindo porque as vantagens são excelentes", afirma.
A mesa de atendimento na agência do BNB permanece cercada de dezenas de produtores. A demanda é diária. A maioria dos agricultores aprovou as condições de renegociação. Entretanto, uma minoria reivindica a dispensa total dos débitos. "Bônus de 85% é praticamente uma anistia, pois uma dívida de seis mil reais é quitada com novecentos reais", observa o produtor e ex-secretário de Agricultura de Jucás, José Teixeira Neto.
O produtor Raimundo Matias Silvestre fez, ontem, o pagamento do saldo devedor de um financiamento de R$ 2,5 mil para compra de gado. "Liquidei tudo agora por R$ 300", comemorou. "Já apresentei um projeto para novo financiamento no valor de dezoito mil reais". Silvestre pretende construir um pequeno reservatório e instalar cerca em sua propriedade no sítio Cajazeiras, no município de Tarrafas.
Francisco Hélmer Alcântara, em 2006, fez um empréstimo no valor R$ 9.600,00 para implantação de um cultivo de maracujá, no sítio Cardoso, zona rural de Iguatu. Havia um saldo devedor de R$ 6.000,00, que foi quitado, ontem, por R$ 840,00. "Se aplicar o dinheiro corretamente, tem retorno e com esse programa do governo, só não paga, quem não quer", disse. "Foi a salvação para todos nós".
Alcântara já apresentou um novo projeto para implantar um sistema de irrigação localizado no valor de R$ 12 mil. "O pagamento será feito em 2020, com três anos de carência e sete anos para pagar", disse. "Se o pagamento for feito em dia, terei um bônus de 40%, isto é, vou pagar com sete mil reais".
"Esta negociação caiu do céu", disse o agricultor, Francisco Fernandes Lima, do sítio Saco dos Antunes, no município de Saboeiro. Lima estava com o financiamento de R$ 2.500,00 do Pronaf em atraso, mas ontem liquidou o débito por R$ 400,00. "Foi ótimo e não tenho o que reclamar", disse.
Prorrogação

Quem adquiriu máquinas e implementos agrícolas financiados pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio da linha de crédito do Finame, também tem a oportunidade de prorrogar o prazo de pagamento de dívidas vencidas para 2015 e 2016.
Os produtores rurais que compraram tratores, por exemplo, vivem a expectativa de serem beneficiados com a medida do governo federal. Eles querem a renegociação das dívidas.
Mais informações
Escritório Regional da Ematerce
Fone: (88) 3581. 9478
Agência do BNB em Iguatu
Fone: (88) 3581. 1411
http://www.ematerce.ce.gov.br/
HONÓRIO BARBOSA
REPÓRTER
ENQUETE
Como avalia o novo plano de renegociação?

Acho muito bom o jeito que o banco está fazendo, dando desconto e transferindo vencimento para o próximo ano, pois os produtores estão sem condições de pagar as parcelas no valor total.
Raimundo Matias Silvestre
Agricultor
Caiu do céu. Achei muito bom e quando soube corri para o banco para pagar o saldo que devia e agora quero fazer um novo financiamento com os juros mais baixos e mais descontos
Francisco ferreira lima
Agricultor

Fonte: Diário do Nordeste