A Expofeira e o descaso

Falta menos de um mês para a realização da Exposição-Feira Agropecuária de São Gabriel, que em outubro terá sua 80ª edição. Em plena Metade Sul do Estado, tão mal falada por nós gaúchos, o empreendedorismo gabrielense realiza uma atividade integradora de longo prazo há oito décadas, sendo a quarta mais antiga feira rural do Estado e também uma das mais avançadas em tecnologia e qualidade genética. No entanto, nestes 80 anos de sucesso, também se lamenta o descaso, igualmente histórico, com a avenida Desembargador Tito Prates, acesso principal ao Parque de Exposições de São Gabriel. O local clama por asfalto há décadas, mas ao menos costumava ser transitável. Atualmente, o atoleiro faz nem parecer que se trata do acesso a uma das principais feiras agropecuárias do Estado. Vale por uma homenagem às avessas do Executivo ao produtor, já que a situação da avenida lembra nossas caóticas estradas municipais.

Em julho, o Sindicato Rural promoveu uma reunião dos produtores com o prefeito do PT para discutir o péssimo estado das estradas. Ficou acertada para agosto nova reunião, para apresentar um cronograma de trabalhos. A reunião foi desmarcada pelo senhor prefeito, e até hoje não aconteceu. Após isso, todas as iniciativas de apoio do Executivo à Expofeira foram sendo proteladas, e hoje se pode dizer que, em 80 anos, nunca o evento teve tamanha ausência do poder público municipal.

Muitas prefeituras gaúchas apoiam suas feiras rurais, inclusive com aporte de recursos: Júlio de Castilhos, Caçapava do Sul, Lavras do Sul e São Sepé são exemplos de municípios que valorizam sua produção rural. Em São Gabriel, além de o produtor não ter estrada, não tem apoio para uma feira que engrandece a economia local: em 2011, a Expofeira negociou ao todo R$ 918 mil. No ano seguinte, R$ 1,2 milhão e, em 2013, R$ 4 milhões na economia local. Apesar disso, no município com o 6º maior PIB rural do Estado e a 65ª economia rural do Brasil, o produtor rural não existe para a prefeitura.

Presidente do Sindicato Rural de São Gabriel, vice-presidente da Farsul

Fonte: Jornal do Comércio

Tarso Francisco Pires Teixeira